Como escreve Luísa Dacosta nas primeiras páginas, as Robertices” pretendem recordar a tradição popular dos espetáculos de rua com os toscos robertos que tanto maravilharam crianças e os adultos “no tempo em que havia tempo para ter tempo e um dia sem escola podia ser uma eternidade”. A obra faz um “confronto” entre a realidade a ficção  e as memórias de infância da autora. A dinâmica, a cor, a alegria o humor, a musica e o “faz de conta” são elementos que marcaram este espetáculo e todas as crianças.