A comida de rua tem ao longo da história ajudado a promover e proteger as gastronomias regionais para além de sua região de origem. De acordo com um estudo de 2007 da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura, 2,5 bilhões de pessoas comem comida de rua todos os dias. Geralmente é considerado um alimento artesanal vendido nas ruas, ou mais precisamente, que não é servido em restaurantes ou cafés.

Historicamente, em lugares como Roma antiga, a comida de rua era comprado porque as pessoas pobres das cidades não tinham cozinhas em suas casas. Há cerca de um século fornecer comida sobre rodas era pratica usada e criada pelo americano Charles Goodnight. Na época, Charles percebeu a dificuldade dos tocadores de rebanho em se alimentar, e adaptou um caminhão militar para levar a comida até eles. Como toda nova ideia, o tempo sempre a transforma, e em meados de 1860 já era possível encontrar food trucks em NY, servindo principalmente os trabalhadores do período da noite.

Hoje, as pessoas podem comprar comida de rua por uma série de razões, tais como a obtenção de alimentos a preços razoáveis, ou ser uma opção e saborosa em um ambiente sociável, para experimentar cozinhas étnicas e também para a nostalgia. Do ponto de vista turístico ocidental, os sabores, o aroma, e o puro teatro de alimentos preparados na beira da estrada são encarados como uma possibilidade fácil e rápida de conhecer a gastronomia de uma região de forma rápida e acessível. A comida de rua, com os seus “food truck”, assumiu-se como um instrumento de popularização da gastronomia possibilitando o acesso às chamadas “comidas gourmets” por um preço acessível.

A comida de rua tem se revelado um mecanismo importante para a popularização das gastronomias locais, não sendo necessariamente nefasta para a saúde pública. É preciso compreender que a comida de rua pode ser saudável, desde que a comida seja bem feita, com ingredientes de qualidade, e consumida de forma regrada. Toda essa expansão global que está acontecendo com o “street food” e os “food truck” traz uma série de benefícios, tanto para democratização da gastronomia, opção de alimentação para quem precisa comer rápido e barato, e uma alternativa a mais de turismo e divulgação da cultura local através da gastronomia.

Durante uma semana Coimbra irá receber uma mostra de comida de rua nacional com vários expositores demonstrando a diversidade da gastronomia nacional em stands móveis.